Notícias de Crato, Ceará.

Trânsito do Crato é debatido por vereadores em sessão

Vereadores Jales Velloso e Maurício Almeida | Foto: Câmara do Crato - Divulgação

O trânsito do Crato foi tema do Pequeno Expediente na sessão desta terça-feira, 14. O assunto foi levado à pauta pelos vereadores Jales Velloso (PSB) e Maurício Almeida (PDT). Jales cobrou a ampliação da fiscalização por parte do Demutran no Centro da cidade.

“Pedimos mais sensibilidade ao pessoal do Demutran que observe as placas de idosos e deficientes cujas vagas são ocupadas por pessoas que não têm adesivo no carro para usá-las”, disse Jales Velloso, acrescentando o pedido de agilidade no retorno do Zona Azul. “Porque você passa mais de meia hora rodando para estacionar e não tem onde”, justifica.

O vereador do PSB também solicitou a recuperação de parte da Avenida José Alves de Figueiredo. A via está obstruída segundo o parlamentar e deveria dar acesso, pelo Pimenta, à Avenida José Horácio Pequeno, que é passagem para Lameiro, Belmonte e balneários da cidade.

“Vai diminuir muito o fluxo da nossa cidade porque o fluxo que tiver na Avenida José Alves de Figueiredo que vai até o Lameiro não vai mais passar pelo Centro do Crato e acreditamos que vai ser feito no tempo mais breve possível pois já falei com o Secretario de Infraestrutura e o prefeito”, declara Jales Velloso.

Calçadas acessíveis

Contribuindo com o tema durante o pequeno expediente, Maurício Almeida citou a falta de acessibilidade na Avenida José Horácio Pequeno. Ela é caminho para quem mora no Lameiro, Belmonte e arredores, tal como para chácaras e balneários do Crato. A via também é usada por pedestres tanto para locomoção como para caminhadas e outros tipos de atividades físicas.

De acordo com o vereador que mora no Belmonte há 35 anos, os pedestres não contam com acessibilidade devido em parte por não existir calçadas em determinados trechos, como na diferença de nível entre calçadas que podem chegar a um metro de altura, conforme ressalta.

“Do início da ponte de Bia como chamamos até o pé da serra, a maioria das calçadas está irregular. Umas estão com diferença de nível de talvez meio metro e outras de um metro, e em muitos loteamentos não existem calçadas”, diz Maurício Almeida.

O vereador reitera que, num primeiro momento, deve ser definido um nível para as calçadas que venham a ser construídas. O parlamentar ainda revela preocupação com os pedestres que se arriscam disputando a avenida com os carros.

“Moro no Belmonte há 25 anos e temos visto o trânsito aumentar mensalmente. É impressionante a quantidade de veículos que transitam naquela artéria, notadamente aos finais de semana”, diz o parlamentar. “As pessoas que andam a pé ou fazem uma atividade física não têm uma calçada. Então realmente há que ser feito um estudo sobre isso”, finaliza.

ATENÇÃO: Esse artigo é de direito reservado. Sua reprodução, parcial ou total, mesmo citando nossos links, é proibida sem a autorização do autor. PLÁGIO É CRIME e está previsto no artigo 184 do Código Penal. - e no artigo 5º da Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais.
Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Expediente

O Crato Em Foco é mantido por Robson Roque, estudante de Jornalismo (penúltimo semestre/ UFCA) e pós-graduado em Comunicação e Marketing Em Mídias Digitais. Contato: (88) 9 9714-0886

Destaque

Medalha Elói Teles tem prazo para indicações até 1º de junho

A comenda da Câmara Municipal do Crato que leva o nome do radialista e folclorista Elói Teles de Morais, destinada a homenagear artista...